MODA: Roupa profissional pede equilibrio nos acessórios

Equilíbrio e bom senso na composição do vestiário fazem muita diferença na imagem. Nara Lyon, Consultora de Imagem e Carreira

Já foi o tempo em que se vestir para o trabalho exigia um excesso de formalidade como o uso quase que exclusivo de tailleur e terninhos femininos. Hoje as novas tendências e a moda permitem uma liberdade maior na composição do vestiário, sem tanta rigidez. Mesmo assim, as roupas para trabalho, em reuniões de negócios ou eventos profissionais, devem estar adequadas ao local, tipo de evento e a cultura e tradição de empresa que você estará ali representando.

As roupas dizem muito mais sobre nós do que imaginamos, quem somos, nossa grau de escolaridade, situação financeira, social, de onde viemos e de quebra pra onde vamos. Por isso, é bom ficar atento na hora de fazer sua escolha. Na vestimenta profissional existem pelo menos quatro níveis de formalidade (Formal Tradicional, Formal Contemporaneo, Casual Profissional e Esporte Profissional) e dois estilos diferentes: o formal, que é mais convencional e mais preocupado com etiqueta; e o informal, mais conhecido como casual. Isso não quer dizer que apesar de precisar ter um estilo mais executivo em seu trabalho ou negócio, você não possa ter roupas mais casuais em seu guarda-roupa. Cada vestimenta tem uma ocasião! Porém, em alguns ambientes é possível criar looks onde os dois conceitos podem se misturar de forma harmoniosa e criativa, como acontece em agências publicitárias, redações jornalísticas, escritórios de design, empresas de web, entre tantas outras.

Mas independente do tipo de vestimenta, o mais importante é sempre manter o equilíbrio e bom senso para somar positivamente mantendo uma boa imagem, cuidando para não errar nas cores ou combinações, e estar atualizado sobre o que ainda é tendência na moda. Neste momento, por exemplo, é permitido o uso de maxi colares para as mulheres, que dependendo do caso pode ser usado em uma roupa um pouco formal e também em vestimentas casuais mais elegantes. Tudo depende como você combinará o mesmo com o restante do look.

Esses acessórios ficam melhores em looks mais básicos, para que não haja um excesso. Vão depender então das estampas, texturas e combinações que compõem o vestiário. A ideia principal dos maxi colares é brincar com as extensões, misturar adornos diferentes, mantendo a harmonia dos materiais. Vários colares finos de diferentes comprimentos ficam mais elegantes do que vários grossos ou grandes. Dá também para misturar um adereço grande com outros mais finos ou menores, sempre alternando os comprimentos. Fique atenta para não usar colares de diferentes estilos, e se optar por colares étnicos, não componha com pérolas ou joias.

Usando adereços que correspondam à roupa, seja ela formal, informal ou esportiva, certamente valorizará a imagem como um todo, quebrando um pouco a rigidez de estilo clássico profissional. Por isso, quando pensar em acessórios, escolha com cuidado o que ficará melhor no look escolhido, sejam cintos, sapatos, relógios, bolsas, brincos, entre outros. O excesso definitivamente rouba a elegância desejada em qualquer ambiente. Não basta ser, é necessário parecer.

Nara Lyon
Consultora de Imagem e Carreira pela FIDM (Fashion Institute of Design & Merchandising de New York) e membro pela AICI (Association of Image Consultants International).




DESTAQUES DA SEMANA:

MODA: PICCADILLY apresenta sua coleção Primavera/Verão 2018/2019

MODA: Com sorteio de viagem e um ano de compras, lojistas do Norte Sul Plaza apostam em descontos para aumento de vendas no Dia dos Pais

MODA: Dia dos Pais, Loja virtual oferece óculos com até 60% de desconto

ENTRETENIMENTO: A arte para o bem sem fronteiras

GASTRONOMIA: Fernando Oliveira é o campeão da Seletiva Brasil Mondial Du Pain Puratos