Translate

DESTAQUE

ENTRETENIMENTO: "Terra à vista!" - Rede Manual realiza vernissage para lançamento de exposição na CASA MANUAL, no MorumbiShopping

Imagem
Exposição reúne trabalho contemporâneo de artesãos portugueses na moda, joalheria, design e outros saberes na CASA MANUAL

Filipa Belo, à frente da Portugal Manual | Foto: Divulgação
Milhares de brasileiros visitam e migram para Portugal principalmente nesta última década. Desta vez, no entanto, serão os portugueses a aportar, mais uma vez, no Brasil. A exposição "Terra à Vista – Brasil volta os olhos para a cultura portuguesa feita à mão", realizada pela Portugal Manual em parceria com a Rede MANUAL, aproxima os dois países pela teia do artesanato contemporâneo. Realizada no Espaço Colletivo + CASA MANUAL, no MorumbiShopping (piso térreo), a mostra fica aberta ao público de 28 de março a 7 de abril, com entrada gratuita.
Para esta exposição foram selecionadas peças de 25 artesãos portugueses dos segmentos de moda, joalheria, casa & design, serigrafia e artigos infantis. São trabalhos únicos criados a partir de diversos materiais como madeira, cortiça, cerâmica, …

Siga @oresumodamoda no Instagram !

BELEZA: Seios grandes demais podem ser prejudiciais para as mulheres

Gigantomastia prejudica postura, afeta coluna vertebral, causa dores fortes e complexo psicológico. Fotos: Divulgação

O implante de silicone é uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil, mas, ao mesmo tempo que muitas mulheres realizam o sonho de ficar com os seios maiores e mais visíveis, outras sofrem com o tamanho excessivo das mamas. Essa condição é chamada de gigantomastia, o termo técnico para definir a hipertrofia mamária, que é quando o volume das mamas ultrapassa as medidas convencionais.

Segundo o Dr. Alderson Luiz Pacheco, atuante de Curitiba, existe uma classificação das hipertrofias. "Elas podem ser categorizadas nos graus I, II, III e IV. No caso da gigantomastia, a hipertrofia ultrapassa o grau IV.Os graus I e II correspondem a aumentos subjetivos, já o grau III apresenta sintomas físicos, como dores nas costas e alterações na coluna vertebral. No grau IV, o mais severo, os sintomas são mais agressivos e os seios possuem um tamanho desproporcional a estrutura corpórea da mulher", explica.



Ele ainda diz que pode haver a chamada hipertrofia juvenil, que atinge pacientes jovens, e a hipertrofia com ptose, quando os seios são caídos. O crescimento exagerado da glândula mamária ou do tecido adiposo da região causa alterações nos tecidos e dificuldades para amamentar. "Para determinar se a paciente possui gigantomastia são usados vários parâmetros de análise, como o peso, altura, largura do tórax e estrutura osteomuscular. Além disso, são levadas em consideração as queixas relacionadas à postura incorreta, distúrbios respiratórios, aspecto deformado das mamas e problemas psicológicos", ressalta o médico, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Pacheco adverte que, quando a mulher possui gigantomastia, é possível que ela fique com autoestima baixa e complexos psicológicos, causando prejuízos nos seus relacionamentos. “O tratamento para o problema é a correção por meio de intervenção cirúrgica. A plástica tem como objetivo reduzir o volume, deixando as medidas em harmonia e equilíbrio. A cirurgia ainda é benéfica para a coluna, as costas e reduz as dores causadas pelo peso excessivo”, afirma.



A principal vantagem da cirurgia plástica é o resultado imediato, já que após a operação é possível visualizar a redução do tamanho das mamas. A intervenção ainda proporciona o remodelamento dos seios, melhorando o seu formato. “De acordo com o estado de saúde da paciente, os critérios de segurança e a indicação médica é possível associar a redução mamária a outros procedimentos cirúrgicos, como a lipoaspiração. A técnica utilizada para reduzir as mamas varia conforme o caso e as necessidades da paciente”, acrescenta Pacheco, que atua na Clínica Michelangelo de Cirurgia Plástica.

No pós-operatório é indicado o uso de um sutiã especial, que não possui armações de metal, enchimentos ou costuras duras. O sutiã não pode apertar a região e deve ser o mais confortável possível, já que ele deverá ser usado por um mês durante o dia e também para dormir. “Os movimentos com os braços devem ser leves e após 3 semanas a paciente volta, de forma progressiva, as suas atividades normais. É normal os seios ficarem inchados, sensíveis e com manchas avermelhadas, que somem naturalmente com o passar do tempo”, finaliza.

Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)
Cirurgião Plástico
Fone: 41 3022-4646      
Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champanhat, Curitiba/PR






AS MAIS ACESSADAS DA SEMANA:

ENTRETENIMENTO: Ferrari Flutuando no palco, músico Renato Franchi elogia Drake

GASTRONOMIA: Chef paraense ensina receita de pão mandioca para intolerantes ao glúten

TURISMO: Blue Tree Premium Florianópolis oferece tarifas especiais de Day Use no aniversário da cidade

TURISMO: Blue Tree Premium Alphaville e Noah Gastronomia promovem Wedding Cocktail

TURISMO: Blue Tree Hotels atinge crescimento de 24,5% em lucro operacional bruto em 2018

BELEZA: Nutriex lança Ovo Unicórnio para a Páscoa

NEGÓCIOS: Egrana, publicidade online para ganhar dinheiro na internet

ENTRETENIMENTO: Melissa Rivers se une a Giuliana Rancic e Brad Goreski como a nova apresentadora do Fashion Police

TURISMO: Cinco motivos para arrumar as malas e conhecer Aruba

MODA: Ipanema+Anitta ampliam parceria e lançam novo álbum da cantora e campanha internacional da marca