IDADE MÉDIA: Bizâncio


Roma enfraquecida, a capital do império foi transferida para uma colônia grega que se chamava Bizâncio e a capital passou a ser Constantinopla, região de situação geográfica privilegiada entre Oriente e Ocidente.
Na indumentária havia uma grande aproximação entre as roupas civis e religiosas. A seda foi desenvolvida, não precisando importá-la da Índia e China. Normalmente usada pelos altos funcionários da corte e os mais suntuosos eram de uso da família imperial, que ainda bordavam com fios de ouro e prata, pérolas e pedras preciosas. A lã, o algodão e o linho também faziam parte da indumentária de Bizâncio.
Com referências romanas, persas e árabes, Bizâncio também influenciou a indumentária da Europa Ocidental. As cores eram muito presentes, assim como o uso de bordados com cenas religiosas, motivos florais e animais. Tinha como principal característica o fato de esconder o corpo, claramente evidenciado pelas formas amplas, mas era claro também a sua função quanto um diferenciador social. Os dois sexos vestiam túnicas em seda com aplicação de pérolas e pedras.
O Império Romano do Ocidente vai até o ano de 1453, quando os turcos otomanos tomaram Constantinopla e a saquearam, marcando o fim da Idade Média.

Destaques da Semana:

MODA: Live The Streets, campanha de inverno da Via Uno retrata moda urbana e irreverente das ruas

CURIOSIDADE: A origem dos calçados.

DECORAÇÃO: Do Japão para o mundo, Daiso é referência no mercado de varejo